sábado, 23 de agosto de 2008

Romanos,4:18-19

“Abraão, esperando contra a esperança, creu... sem enfraquecer na fé...”
( Rm, 4:18-19)

Hoje ouvi uma pequena ilustração e fiquei a pensar em minha vida.

“Certa mulher, acordou pela manhã e foi para a feira a fim de comprar vegetais, frutas e verduras para a sua família. Ao chegar lá, começou a comprar: Banana para o seu filho atleta, hortaliças para a sua filha vaidosa, frutas para o seu marido...e o vendedor chegou para ela e perguntou: “O que vai comprar pra você? “Ela, por um instante, parou e pensou: “O que eu posso levar para mim?” Ah!!! Já sei. Vou levar jiló. Há anos não como, pois minha família não gosta e nunca compro para mim.”

Eu já fui como esta mulher.
Ao analisar minha vida, vejo que deixei de fazer muitas coisas em função de outras pessoas.
Abdiquei de sonhos, interesses, vontades, tudo para agradar ou não desagradar alguém.
Mas o que eu ganhei com isso?
Absolutamente nada.
Ao olhar para trás, me sinto frustrada por não ter feito tanta coisa que queria, e por ter desistido de sonhos que hoje poderiam ser concretos e usufruídos por mim.
No entanto, antes de me assentar aqui para escrever essas reflexões, li o versículo que está escrito acima.
Ainda posso conquistar tudo o que deixei para trás.
Ainda posso sonhar e alcançar cada sonho plantado em meu coração por Deus.
Ainda posso ser eu mesma e deixar exalar de minhas atitudes, minha verdadeira personalidade.
Descobri com o tempo, aliás, ele ensinou-me que se deixa de ser nós mesmos em função de alguém, é porque na verdade esse alguém não nos aceita como somos realmente, e se não nos aceita, é porque não nos ama.
Ninguém tem o direito de frustrar os nossos sonhos, ninguém, em sã consciência, atrapalha a vida de uma pessoa por amor.
Amar é aceitar o outro como ele é.
É entender as suas necessidades, embora muitas venha bater de frente com o nosso orgulho.
É apoiar e ser cúmplice do amado.
Antes de qualquer coisa, é respeitar o direito que cada um tem de ser feliz e querer a sua liberdade.
Realmente, lutar contra a oposição e as circunstâncias que nos são apresentadas, não é nada fácil.
Crêr sem enfraquecer, muito menos.
Porém, a fé não é o firme fundamento das coisas que não existem, e a prova daquilo que não se vê?
Então eu vou lutar.
Vou prosseguir em minha jornada perseverando e acreditando que eu posso, pois se Ele está em mim, quem pode me impedir?

Meire Raposo – 02/06/08 – 09:55 hs

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar este blog