quinta-feira, 16 de junho de 2011

Meu Chronos não é o Seu Kairós.

"Eu reconheço que para Ti nada é impossível e que nenhum dos Teus planos pode ser impedidos." (Jó, 42:2 - NTLH)

Cresci num ambiente de milagres.
Já vi a farinha multiplicar, o mar se abrir, o cativeiro ser aberto, o enfermo ser curado, a promessa ser cumprida e a fidelidade de Deus confirmada...
Apesar disso, situações insistem  abalar minha fé e calar dentro em mim a confiança neste Deus.
São medos, inseguranças, abatimentos, a demora do chronos, pessoas incrédulas, circunstâncias contrárias, fortalezas que se levantam contra a minha vontade, fazendo-me duvidar se a Palavra é real.

São nestes momentos que clamo em meu íntimo por paz.
Sei que o Espírito Santo intercede ao Pai por mim com gemidos capazes de comovê-Lo a meu favor.
Também sei que "todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus", mas quem deseja atravessar o deserto, inda mais quando parece interminável a jornada?!

Comovo-me com a perseverança de Jó e alegro-me em saber que ele está certo.
Mas é tão difícil lembrar disso em meio a adversidade...  É tão mais fácil duvidar...

Observando a palavra, entendo o motivo de Deus ter aberto o Mar Vermelho na escuridão da madrugada e, de ter retirado a Sua luz para que o povo não visse o milagre.
Acho que o povo não suportaria vê o que estava acontecendo ao seu redor.
Atravessar a pés secos um grande mar, era mais que a razão poderia permitir.

O livro de êxodo nos mostra que Deus fez o povo caminhar em meio as trevas a fim de que não enxergasse o milagre até que ele fosse completo.
O milagre só fora visto ao amanhecer, quando seus olhos contemplaram o livramento do Senhor e a destruição do exército de Faraó.

Apesar de conhecermos a Deus e já termos visto os Suas obras, não somos capazes de enxergar o Seu agir sem temer, e por este motivo, Deus nos poupa a visão a fim de vermos somente a ação completa do milagre.

Entender que Deus age no tempo e da forma certa, vai além da capacidade do entendimento humano.
Na verdade, o tempo só existe para nós, meros mortais, que necessitamos de algo para nos programarmos a respeito de nossas coisas.
Mas Deus não é assim.
Para Ele não existe o ontem nem o amanhã, somente o hoje.
Seu kairós é perfeito e sem margem de erro.
Não precisa ser medido nem mudado a favor de Suas obras.
Ele simplismente opera no TEMPO certo e da maneira que Lhe apraz, a fim de nos cuidar e de demonstrar o Seu amor.

terça-feira, 7 de junho de 2011

Rosto Desvendado:

"Nós não fazemos como Moisés, que cobria o rosto com um véu para que os israelitas não pudessem ver que o seu brilho estava desaparecendo." (2 Coríntios, 3:13 / NTLH)

Sempre gostei muito das curiosidades bíblicas.
Desde criança  me interesso por saber e entender as escrituras de forma que fique mais fácil praticá-la.
Acho engraçado às vezes que ouço alguém usá-la de forma apropriada ao seu estilo de pensamento ou de interpretá-la a seu favor. Espero nunca fazer o mesmo!
No entanto, sou do tipo que questiona antes de aceitar.
Tenho aprendido muitas coisas ultimamente, e queria compartilhar algo que me chamou a atenção...
Sempre ouvimos dizer que Moisés, certo dia ao descer do monte, tinha seu rosto brilhando de tal forma que fora preciso usar um véu afim de cobrir o resplendor, temendo a adoração do povo.
Porém, Paulo relata algo contrário a este pensamento e revela a verdadeira atitude de Moisés quanto a usar o véu.
Reparando no texto de Êxodo 34:29 -35, vemos que de fato o seu rosto resplandecia, mas que ele falava com o povo mostrando o sua face e só depois a cobria.
Em momento algum nos deparamos com Moisése se apresentando ao povo com o rosto encoberto, pois ele de fato, queria mostrar a prova da sua intimidade com Deus.
No entanto, ao perceber que seu rosto ia empalidecendo, ele encobria com um véu a fim de que o povo  não visse sua face retornar ao normal. Na verdade, ele queria que o povo pensasse que seu rosto resplandecia sempre, diferente dos demais.
O perigo dessa atitude é o mesmo de hoje sermos hipócritas quanto aquilo que não somos.
Encobrir o rosto é o mesmo que mascarar algo que não queremos que alguém veja.
É mostrarmos mais santos, mais capazes, mais experientes, mais potentes.... na verdade, isto se chama prepotência.
Hoje encontramos milhares de pessoas frustradas por identificar que é humano, como todo mundo.
Alguns imaginam que à medida que se aproximam de Deus se tornam intocáveis e blindados a certos tipos de situações. Isso não é verdade.
Deus não nos torna seres celestiais por aceitá-lo, pelo contrário, ele nos habilita a ser o melhor ser humano que podemos, dentro de nossas limitações e suprimindo o mal dentro de nós.
Na verdade, em momento algum Ele retira desejos, conceitos ou nos muda, mas nos revela Sua vontade para o nosso bem e a do reino. O desempenhar é nosso.
Já vi muitas pessoas desistirem do Caminho por não se acharem habilitadas a continuar.
Isso, porque olhando para alguns cuja a face está encoberta, acha-se incapaz de se transformar em alguém do "tipo", sentem-se menor e muitas vezes excluídos dessa comunidade.
O que Paulo nos mostra é que Deus prefere a transparência, seja ela positiva ou não para a sua vida.
O que importa realmente, é ter o rosto desvendado, revelado, sem uso de véus, a fim de mostrar a verdadeira identidade e afirmar que nem sempre estamos no topo da vida espiritual.
Afinal, o essencial é mostrar os feitos do Senhor através da nossa vida e não o contrário. 

sábado, 4 de junho de 2011

Fala que eu te escuto...

Fico admirada com a habilidade que temos em entender coisas erradas e ainda interpretar de forma mais variada, aquilo que outros dizem.
Às vezes percebo que isto acontece comigo.
É inconsciente, mas desastradora a consequência desse ato.
A forma que ouvimos, muitas vezes não é a forma que escutamos o que foi falado.
Há uma diferença grande em ouvir e escutar...
Quer vê só?!
Podemos participar de uma conversa, ouvir cada palavra e minutos depois, ao sermos confrontados a expor nossa opinião, não sabermos qual é o assunto.
Isso, porque nossa mente vaga enquanto nos é falado, e somos tentados a expressar somente aquilo que nos foi entendido.
Nessa questão, vão surgindo ditos  por não ditos,  e uma avalanche de mal entendidos que ocasionarão em futuras conversassões de necessárias explicações para o fruto do real entendimento.
Daí  é que surgem conflitos familiares, quebra de sociedade e fim de amizades.
Sem falar de heresias, falsas doutrinas e muita afirmação contrária a palavra de Deus.
Precisamos pedir a Deus que nos ajude a discernir o que ouvimos para poder escutar de verdade e com sabedoria aquilo que nos é falado.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar este blog