segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Quero ser como Criança

"Eu lhes asseguro que, a não ser que vocês se convertam e se tornem como crianças, jamais entrarão no reino dos céus." (Mateus, 18:3)

Tem ser mais inocente, mais puro e mais disprovida de mágoa que uma criança?
Você pode zangar, brigar, que jamais ela deixará de olhar pra você por isso.
Não guarda nenhum tipo de ressentimento.
Perdoa instantaneamente.
Tá sempre sorrindo.
Nunca desiste de nada.
É meiga e simpática por natureza.
Sua sinceridade e espontaneidade é de espantar.
Jamais diz o que não sente,
Mentira? Ela nem sabe o que é isso.
Carinho? Ah! Ela demonstra de várias maneiras.
Outra qualidade que a criança tem é a facilidade de assimilar o ensino, e de aprender com os erros.
Uma vez aprendido, nunca mais esquece. E uma vez machucado a mão, jamais volta à cumbuca.
Realmente precisamos aprender muito com os nossos pequeninos.
Uma vez, eu estava irritada arrumando o guarda-roupa, e falei:
- Não tem coisa pior que isso.
Minha filha, que na época tinha 4 anos, respondeu:
- Ah, mãe!!! Tem sim.
Passamos os nossos dias reclamando, guardando mágoas, virando as costas pra quem nos ofendeu, mentindo e omitindo o que sentimos na verdade.
Às vezes, deixamos de pronunciar palavras que edificam, para corromper alguém a nosso favor.
Jesus deixou bem claro: "...jamais herdarão o reino dos céus".
Mas como eu posso já velho, tornar-me como criança?
Essa resposta é mais fácil de se responder que a pergunta feita.
É só deixar Jesus moldar a sua vida.
Quando O recebemos em nossos corações, entregamos a Ele tudo o que somos. Nossos sentimentos, nossas lembranças, nossos sonhos, nossas frustrações, ...
Bom, agora é só dá permissão a Ele para nos limpar de tudo o que não é preciso guardar, e de lustrar aquilo que temos de melhor.
Você, como eu, já foi uma criança.
Tá tudo guardadinho aí em algum lugar.
Deixe Cristo encontrar e colocar a sua disposição para que você use.
Vai lá!!!
Não tenha vergonha de voltar a ser criança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar este blog