domingo, 8 de maio de 2011

"Eis que foi para a minha PAZ que tive eu grande amargura." (Isaías, 38:17a)

Estranho pensar assim.
Mais estranho ainda é viver na consciência disto.
Tenho aprendido que sentir dor é uma dádiva de Deus.
Imagine se fôssemos indolores...
Aí, um belo dia, mas nem tão belo assim, você repousa seu braço sobre um galho de árvore e de repente a pior cobra que existe com seu veneno mortal, pica-lhe o braço. Como não sente dor, você não percebe a picada e só vai dar conta do acontecido quando seu corpo é tomado por infecção e o óbito é anunciado.
Parece dramático, mas é o que acontece todos os dias conosco sem nos darmos conta do bem enorme que Deus nos faz ao sentirmos dor.
São dores das mais diversas, cada um tem a sua.
Convivo com pessoas das quais sofre grandes dores, inda sim, preferiu suportar até que seu corpo se acostumasse. Se vêem num caminho sem volta, não sabendo como mais deixar de viver aquilo.
Revendo as histórias da bíblia, vemos um personagem que viveu uma dor terrível: a rejeição dos seus irmãos, ocasionando na sua expedição como escravo para o Egito.
José foi vendido por seus irmãos a uma terra longínqua e desconhecida.
Passou por momentos terríveis na prisão e anos longe de seu pai.
Anos depois, ele entende que tudo aquilo serviu para salvar a sua família da fome, e sua linhagem da morte.
Realmente somos incapazes de entender o agir de Deus e questionamos Sua maneira de nos livrar de um mal maior.
Apesar disso, Deus em Sua infinita misericórdia, continua revertendo as dores de nossas vidas, e usando todas as nossas fragilidades a nosso favor, mostrando-nos que somos humanos, limitados e frágeis, enquanto Ele é Poderoso, Soberano e Único Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar este blog