sábado, 4 de setembro de 2010

Síndrome de Nabucodosor:

"Levantei os olhos aos céus, e percebi que o meu entendimento tinha voltado. Então louvei o Altíssimo; honrei e glorifiquei aquele que vive para sempre. O Seu domínio é eterno e o Seu reino dura de geração em geração. Todos os povos da terra são como nada diante Dele, pois age como Lhe agrada, com os exércitos dos céus e com os habitantes da terra. Ninguém é capaz de resistir à Sua mão ou dizer-lhe: "O que fizeste?" (Daniel, 4:34 e 35)

Muitas vezes passamos por momentos em nossas vidas semelhantes a que o rei da Babilônia teria passado.
Talvez não literalmente, mas semelhante na forma do agir e tratar de Deus em nós.
Às vezes somos avisados sobre o futuro e a respeito do caminho que devemos escolher, inda assim, preferimos optar por aquilo que queremos, e por consequência somos levados a viver de forma irracional, sofrendo humilhações que poderiam ter sido evitadas se tivéssemos ouvido a Deus.
Graças a Ele, esta sentença tem um fim pré-estabelecido.
No caso de Nabucodonosor, durou 7 anos. Mas poderia ter durado menos se ele tivesse reconhecido seus pecados e se humilhado diante do Pai, assim como o próprio Deus havia sugerido.
Quem sabe nossa restituição, milagre, vitória, benção, ou o que você tem aguardado da parte de Deus, não esteja apenas esperando uma sujeição da sua parte?!
Uma quebra de arrogância, de orgulho, de prepotência, do eu...
Uma postura diferenciada da que você tem levado até hoje?!
Não permita que sua carne submeta o seu corpo a viver de forma irracional por mais tempo.
Não retenha o favor do Pai em sua vida.
Não retarde sua benção.
Ofereça-se ao Senhor como sacrifício vivo diante do Seu altar e submeta-se a Sua vontade. Sabendo que Ele sempre tem o melhor a nos oferecer e, que desde início já o tinha preparado.
Receba-o...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Pesquisar este blog